Dicas Naturais, Remédios Caseiros

Receita Natural

Receita Natural

Plantas e Ervas ajudando em sua Saúde

Pesquisar

Erva de São João – Propriedades Medicinais

A Erva-de-são-joão ou Erva de São João (Hypericum perforatum) é planta herbácea perene, pertencente a família das Hiperricoidaea guttiferae e largamente distribuída na Europa, Ásia, norte da África e aclimatada nos Estados Unidos.

A erva de São João é um pequeno arbusto, de porte ereto, atingindo cerca de 1 metro de altura. As folhas são opostas, sésseis, dotadas de glândulas translúcidas, que podem ser observadas colocando-se a folha contra a luz. As flores são numerosas, persistentes, de coloração amarela e possuem pequenos pontos pretos ao longo das margens das flores que contêm elevadas concentrações do pigmento vermelho hipericina.

A planta é medicinal e possui dezenas de benefícios para a saúde humana. Seu uso é indicado principalmente para o tratamento de casos de depressão leve ou moderada. Mas também, o consumo da erva de São João pode apresentar efeitos colaterais, em especial se consumida em excesso ou de forma inadequada. Por esse motivo, é indicado o acompanhamento médico durante o seu tratamento.

Nesse artigo você entenderá como a erva de São João age no organismo humano, em quais casos ela é indicada e quais os métodos corretos de consumo da planta medicinal, assim como os possíveis efeitos colaterais da erva. Boa leitura!

Erva de São João

Erva de São João

Erva de São João

São as folhas e flores amarelas da Erva de São João que são comumente utilizadas nos tratamentos de saúde. Acredita-se que essa erva surgiu na Europa, mas rapidamente se espalhou para a Ásia e norte da África, sendo hoje encontrada em quase todas as partes do mundo.

Devido a sua popularidade, a erva de São João pode ser conhecida por outras nomenclaturas. Veja aqui a lista completa dos nomes populares que essa planta pode receber.

  • Hipericão
  • Milfurada
  • Ibitipoca
  • Hipérico-verdadeiro

Erva de São João – Propriedades Medicinais

A Erva de São João é benéfica para a saúde por possuir:

  • Vitamina C
  • Carotenoides
  • Flavonoides
  • Rutina
  • Isoquercetina
  • Aminoácidos
  • Fitoesteróis
  • Taninos
  • Pectina
  • Óleos essenciais

Todos esses itens fazem parte da composição natural da erva de São João.

Entretanto, é a hipericina – e seus fito complexos – que se constitui como a substância fundamental da erva, uma vez que a principal atuação medicinal da erva de São João está associada com suas propriedades calmantes.

Veja aqui a lista completa das propriedades e ações medicinais da erva de São João.

  • Adstringente
  • Antidepressivo
  • Antidiarreica
  • Anti-inflamatória
  • Anti-irritante
  • Antimicrobiana
  • Antisséptico
  • Calmante
  • Cicatrizante
  • Sedativo
  • Vermífugo

Erva de São João – Benefícios e principais indicações

Erva de São João - Benefícios e principais indicações

Erva de São João – Benefícios e principais indicações

A Erva de São João é indicada para o tratamento de algumas condições psiquiátricas comuns da atualidade, tais como:

  • Depressão leve ou moderada
  • Estresse
  • Insônia
  • Nervosismo

A planta também pode ajudar nos seguintes tratamentos:

  • Transtorno de Hiperatividade/Déficit de Atenção (TDAH)
  • Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Isso porque a hipericina funciona como um antidepressivo natural, devido a seus sistemas noradrenérgicos, dopaminérgicos e serotoninérgicos. A Erva de São João inibe a receptação de dopamina, serotonina e noradrenalina, ligadas aos casos de depressão e ansiedade.

Ao auxiliar na regulação da produção hormonal essa erva consegue balancear o metabolismo, diminuindo a insônia, o cansaço e o estresse, além de auxiliar nos sintomas da menopausa, no caso das mulheres.

A erva de São João possui também efeitos antioxidantes que acabam por combater os radicais livres e por isso, retardam o envelhecimento precoce das células e previnem doenças consequentes do envelhecimento.

Além disso, a erva de São João atua no combate aos seguintes problemas:

  • Acne
  • Hemorroidas
  • Gota
  • Caspa
  • Problemas do sistema digestivo
  • Problemas do sistema urinário
  • Seborreia
  • Problemas pulmonares
  • Problemas musculares

Erva de São João – Como consumir corretamente?

A forma mais comum de consumir a Erva de São João é em cápsulas produzidas a partir do extrato da parte superior da planta.

É possível também a produção de chás com as folhas da erva, em que é utilizada uma colher de sobremesa das folhas para cada xícara de chá de água que se quer consumir.

Chá de erva de São João

Veja aqui como preparar um chá de erva de São João em casa.

Ingredientes:

  • 1 colher de sobremesa de folhas da erva de São João
  • 1 xícara de água

Modo de preparo: Leve a água ao fogo e a ferva. Desligue o fogo e coloque as folhas da erva na água fervente e tampe o recipiente por cinco minutos ou mais. Após esse processo, coe e adoce a gosto.

Erva de São João – Efeitos colaterais

Alguns estudos demonstram que o uso da erva de São João por pessoas com transtorno bipolar u esquizofrenia podem apresentar alguns quadros desagradáveis, tais como:

  • Tonturas
  • Confusão mental
  • Fadiga
  • Náuseas

A erva de São João pode causar esses efeitos colaterais em todos os pacientes, mas estudos demonstram que pessoas com algum distúrbio psiquiátrico têm maior propensão a apresentá-los. Por esse motivo, a planta não é indicada para essa parcela da população.

Outros efeitos colaterais comuns do uso da erva de São João podem ser:

  • Crises de psicose com alucinação
  • Dores no corpo após períodos expostos ao Sol
  • Manchas na pele
  • Sensibilidade a luz, em especial a luz solar
  • Infertilidade

É importante lembrar que o funcionamento total dessa substância não é completamente conhecido pela ciência e seus efeitos colaterais tornam fundamental o acompanhamento e aconselhamento médico para o caso de uso da Erva de São João em tratamentos variados.

Erva de São João – Contraindicações

A Erva de São João é contraindicada nos seguintes casos:

  • Crianças menores de seis anos, exceto sob prescrição pediátrica clara
  • Mulheres grávidas
  • Lactantes
  • Mulheres que façam uso de métodos anticoncepcionais orais
  • Pacientes com depressão grave ou outros distúrbios psiquiátricos severos
  • Pacientes que façam uso de medicamentos anticoagulantes

O que achou desse conteúdo? Já conhecia os benefícios e os riscos da erva de São João? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários e divulgue essa informação entre seus amigos e familiares.

Mais Receitas e Dicas Naturais

Receitas e Naturais em seu email