Dicas Naturais, Remédios Caseiros

Receita Natural

Receita Natural

Plantas e Ervas ajudando em sua Saúde

Pesquisar

O que é a Pubalgia? Como Tratar?

A pubalgia é caracterizada por um quadro de dor na região da virilha. Ela é mais comum nos atletas, como jogadores de futebol e corredores de longa distância, devido ao esforço físico. Estima-se que 10% das lesões crônicas entre esportistas estejam relacionadas à pubalgia. Muitos atletas precisam abandonar a carreira por causa da incapacidade para para a prática esportiva causada pelos avanços da doença.

O osso púbis do corpo está abaixo dos músculos abdominais e dos músculos adutores do quadril. Logo, a pubalgia ocorre quando um dos conjuntos de músculos exige mais força do que o outro, ocasionando a dor central neste osso e na virilha.

Felizmente, para casos mais brandos, pode-se realizar o tratamento natural para pubalgia, usando chás analgésicos e anti-inflamatórios, além de acunputura e certos exercícios de fisioterapia. Abaixo, saiba mais sobre a pubalgia e como deve-se tratá-la.

Pubalgia

A fisioterapeuta Raquel Castanharo explica que a pubalgia é causado por um processo inflamatório na região do osso púbis. Segundo ela, esse osso está inserido entre dois conjuntos de músculos: os abdominais e os adutores do quadril. A força que essas musculaturas exercem sobre o osso púbis pode ser desequilibrada, ou seja, um músculo exige mais do osso, como num cabo de guerra.

O resultado desse desequilíbrio é a inflamação da sínfise púbica, que une o osso púbico direito e o esquerdo. Além disso, os músculos adutores do quadril também podem apresentar inflamações quando a força exercida por eles é maior que a dos músculos abdominais. O quadro de dor característico da pubalgia é causado por esse processo inflamatório complexo.

É difícil falar em cura nos casos de pubalgia, mas podemos certamente falar de um tratamento eficaz. As formas de tratamento da inflamação são variadas, conforme o quadro apresentado pelo paciente. Nos casos agudos, é recomendado o repouso e afastamento da atividade esportiva causadora do problema. Além disso, o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios é fundamental para aliviar os sintomas. Aplicação de gelo e compressas frias ajudam bastante no tratamento da fase mais crítica.

Pubalgia

Processo inflamatório no osso púbis

Geralmente os atletas apresentam melhoras consideráveis com esses tratamentos inciais, mas voltam a sofrer com as dores quando retomam a atividade física. Nos meses que sucedem o início do tratamento, os especialistas recomendam a fisioterapia, bem como alongamentos e exercícios de fortalecimento muscular (sobretudo na região abdominal). A duração desse tratamento é de cerca de 6 semanas para esportistas profissionais e 3 meses para atletas recreacionais.

O procedimento cirúrgico é aconselhado a paciente que não apresentam melhoras significativas após os primeiros meses de tratamento. De acordo com estudos recentes, a cirurgia é o tratamento mais eficaz para a pubalgia, com cura de mais de 90% dos casos e baixa taxa de recidiva. Após a identificação das causas da inflamação, o médico especialista pode sugerir o melhor procedimento cirúrgico conforme as condições do atleta.

A reabilitação do paciente após a cirurgia tem duração média de 8 a 12 semanas. Durante esse período, são indicadas exercícios físicos moderados. Na reavaliação feita 6 meses depois da cirurgia, a maior parte dos atletas atesta as melhorias no quadro da pubalgia, com grande possibilidade de retorno à atividade realizada antes do procedimento cirúrgico.

Qual o tratamento natural indicado?

Além das cirurgias e também tratamentos utilizando medicações, pode-se usar tratamentos naturais, nos casos mais brandos da pubalgia e quando o próprio médico recomenda-o. Primeiramente, pode-se aplicar compressas de gelo na área dolorida, 20 minutos ao dia por 3 vezes.

Ainda, como a pubalgia é um processo inflamatório, é possível também utilizar chás que diminuem a inflamação. Tem-se como exemplo o agrião, hortelã, alecrim, dente de leão e as folhas de abacate. São ótimas opções para tratar a pubalgia de forma segura e eficaz.

Porém, é importante mencionar que os casos mais graves de publagia devem ser tratados com a cirurgia e com medicamentos. Em algumas situações, até mesmo os espirros e pequenos movimentos podem ocasionar ainda mais dores.

Receitas e Naturais em seu email